O Ministro das Comunicações Efthymios Flourentzou reafirmou a intenção de Chipre em manter a sua posição de liderança na navegação mundial. 

O Ministro sublinhou os esforços do Departamento da Marinha Mercante para incentivar os empreendedores e salvaguardar a competitividade de Chipre enquanto centro de navegação mundial. 

Flourentzou sublinhou o facto de Chipre estar entre os países com mais registos internacionais de navios bem como de centro de operações internacionais. O sector marítimo foi desenvolvido com uma importante participação de investimento estrangeiro. 

O núcleo deste sector engloba empresas de aquisição e gestão de navios com responsabilidade sobre mais de 2 000 barcos com mais de 30 milhões de tonelagem, mais de 5% da frota mercante mundial. Estes influenciam mais de 100 empresas com actividades relacionadas desde o aluguer de navios, fretamento, seguradoras, serviços financeiros, fornecedores de equipamento e telecomunicações, até aos serviços portuários, operações de transferência de cargas, mantimentos e combustíveis, bem como agentes de navegação. Esta atividade torna Chipre um local ideal para o desenvolvimento de negócios a juntar aos registos de navios. 

A política marítima do governo pretende exponenciar a qualidade, fiabilidade e competitividade. Chipre mantém uma frota de acordo com esses valores respeitando todos os procedimentos de segurança e protecção internacionais que conferem uma excelente reputação. 

A pirataria é uma grande preocupação que sofreu um grande aumento no Oceano Índico e em África. Está neste momento em estudo uma nova legislação que vai regular o uso de pessoal armado nas zonas de risco para proteger a frota Cipriota.